18
Seg., Jan.

Typography

Inseridos plenamente qual “ramo” vivo e vital da grande árvore da Família Paulina, os Cooperadores são chamados a valorizar continuamente a inestimável riqueza da vida espiritual com a qual esta Família, por singular e inefável dom de graça, foi pensada, querida e com amor oferecida pelo Bem-aventurado Tiago Alberione.

O Concilio Vaticano II no Documento Apostolicam Actuositatem assim afirma, no número 4: “os leigos que, seguindo a própria vocação, se alistaram em alguma das associações ou institutos aprovados pela Igreja, devem de igual modo esforçar-se por assimilar as características da espiritualidade que lhes é própria”.

Esse ponto, por parte dos Cooperadores Paulinos, é oportunamente coligado com a finalidade espiritual e apostólica da inteira Família religiosa fundada por Padre Alberione, a qual anuncia a verdade que liberta através da evangelização com os instrumentos da comunicação social e – sempre para citar o Primeiro Mestre – com “todas as invenções que o progresso humano fornece e as necessidades e as condições dos tempos requerem”.

Para que isto possa realmente ser realizado na vida e na experiência concreta dos Cooperadores, o vigente Estatuto da Associação quis indicar com precisão quais conteúdos devam fazer parte da vida espiritual e apostólica dos membros da nossa Associação e quais sejam os percursos que eles são chamados a empreender para viver plenamente esse dom da graça.

Esses conteúdos constituem um verdadeiro e autêntico processo formativo, carismático e espiritual, que, se vivido constante e progressivamente, dará como resultado um autêntico “leigo Paulino integral”.

Tal processo se realiza através de uma específica sucessão de pontos que desejo apresentar aqui:

  • a leitura, o estudo e a meditação da Sagrada Escritura, especialmente o Evangelho, os Atos dos Apóstolos e as Cartas de São Paulo;
  • o empenho para dar vida uma espiritualidade que ponha a seu centro e tenha como fundamento Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, o Cristo integral, como o conheceu São Paulo, que nele vê a realização das Sagradas Escrituras (cf AD 159-160);
  • a capacidade de confiar em Maria Rainha dos Apóstolos e em São Paulo apóstolo, modelo de todo paulino, e guia no processo de cristificação: “Já não sou eu que vivo, mas Cristo vive em mim” (Gl 2,20);
  • o nutrir-se quotidiano à mesa da Palavra, a meditação e leitura espiritual;
  • um maduro discipulado que se deixa guiar por Cristo Mestre durante o ano litúrgico. Não há melhor escola para a formação espiritual de cada paulino que a participação na vida da graça oferecida pela liturgia;
  • a participação “plena, ativa e frutuosa” da Eucaristia “para ser tudo em Cristo, para um total amor a Deus: inteligência, vontade, coração, forças físicas”. “Tudo: natureza, graça, vocação, para o apostolado. Um carro que corre sobre quatro rodas: santidade, estudo, apostolado, pobreza” (AD 100; cf CISP 10);
  • uma consciência cada vez mais sólida de que a piedade paulina é eucarística: Tudo brota da fonte vital que é o Mestre eucarístico (cf. AD 16-19, 82, 95, 155). Da Visita eucarística se aprende a encontrar alimento para a vida espiritual pessoal e para o apostolado;
  • o exame de consciência quotidiano, praticado segundo o pensamento da Igreja e do Fundador: cor poenitens tenete. Desse modo aprende-se quanto seja importante restabelecer a correta relação com Deus, consigo mesmos e com o próximo e o valor do Sacramento da Reconciliação, e tem-se na justa consideração a necessidade da direção espiritual como meio indispensável para caminhar com segurança na vida cristã (cf AD 158);
  • a oração da Liturgia das Horas ou parte dela, especialmente as Laudes e as Vésperas. Desse modo o Cooperador aprende a santificar o tempo participando da oração comum e oficial da Igreja;
  • a harmonização dos exercícios de piedade com a sacra liturgia (cf SC 13). Particularmente com a oração atenta e meditada do santo Rosário, aprende a crescer na devoção à Rainha dos Apóstolos. O Cooperador terá em mãos um subsídio importante: o livro As Orações da Família Paulina, que lhe é entregue durante o rito da Promessa e que, além de orações, contém as instruções escritas pelo próprio Fundador.
  • a participação dos encontros, reuniões, retiros que são promovidos expressamente pela Associação e que lhe consentem o conhecimento da herança espiritual da Família Paulina;
  • a leitura e o estudo do pensamento do bem-aventurado Alberione e dos documentos que a Sociedade de São Paulo e a Família Paulina põem à disposição.
  • a participação dos encontros espirituais e formativos promovidos pelo grupo do qual é membro, para maior comunhão entre os membros e para um conhecimento progressivo do carisma paulino.

Se todos os Cooperadores Paulinos sentirem o gosto e viverem esta espiritualidade, de modo que ela leve a uma síntese de vida, alargarão o ânimo às necessidades do mundo contemporâneo, serão autênticos apóstolos que vivem, sentem, atuam com o coração mesmo do Apóstolo Paulo, e, portanto, com o mesmo Coração do Mestre Divino.

 

 

Padre Guido Colombo ssp
Delegado dos Cooperadores da Sociedade de São Paulo para a Província da Itália
Coordenador da Direção Executiva Nacional para a Itália da União Cooperadores Paulinos

Agenda Paulina

18 janeiro 2021

Feria (v)
Eb 5,1-10; Sal 109; Mc 2,18-22
18-25: Ottavario di preghiera per l’unità dei cristiani

18 janeiro 2021

* Nessun evento particolare.

18 janeiro 2021

SSP: Fr. Tito Della Bartola (1972) - D. Armando Gualandi (1982) - D. Armando Giovannini (1991) - D. Egidio Spagnoli (2014) - Fr. Carmelino Bison (2016) • FSP: Sr. Ida Mazzucato (2015) • PD: Sr. M. Luisa Fallado (2006) • IGS: D. Angelo Mazzia (2015) • IMSA: Vincenza Lionetti (2009) - María Librada González Rodríguez (2015) • ISF: Benito Filemón Villa (1996) - Mario Pietrofeso (2004).

Pensamentos

18 janeiro 2021

Per i principianti devono essere le predilezioni dell’apostolo, il quale ha come il divin Maestro, la missione di rivolgersi di preferenza ai poveri ed umili: «Mi hanno mandato per annunziare ai poveri un lieto messaggio» (AE, 154).

18 janeiro 2021

Para los incipientes deben ser las predilecciones del apóstol, el cual tiene, como el divino Maestro, la misión de dirigirse preferentemente a los pobres y humildes: «He sido enviado a llevar la buena nueva a los pobres» (AE, 154).

18 janeiro 2021

For beginners these must be the predilections of the Apostle, who, like the Divine Master, has the mission to address the poor and the humble with preference: «They have sent me to proclaim the good news to the poor» (AE, 154).